Siga-nos no Twitter

domingo, 20 de abril de 2008

Review Cinema: Quebrando a Banca

Filme: Quebrando a Banca
Título Original: 21
EUA - 2008
123 min

Diretor: Robert Luketic
Elenco: Jim Sturgess, Laurence Fishburne, Kevin Spacey, Aaron Yoo, Liza Lapira, Jacob Pitts, Kate Bosworth

Jogos de carta sempre me fascinaram. Quando aprendi a jogar truco ainda criança, ficava horas jogando com os amigos. Hoje prefiro jogar Poker, Buraco com as senhoras ou 21.

O filme "Quebrando a Banca" ('21', em inglês), é baseado na história real de um grupo de estudantes do MIT, um dos maiores centros de conhecimento do mundo, que descobrem em Las Vegas um meio de vida.

Logo no começo o público é apresentado ao herói, Ben Campbell, mas pera aí! Fiquem tranquilos, herói até a página 2. Ben é um nerd, sem um centavo no bolso em um trabalho sem perspectivas, que tenta pegar a menina mais gata do MIT inteiro. - Pacotão clichê do filme.

Mas vamos lá, apesar de seu currículo impressionante, e de j[a ter sido aprovado para estudar em Harvard, o menino ainda está muito distante do seu sonho de se tornar um médico. Ele precisa de aproximadamente US$ 300,000,00 para pagar os seus estudos. E como eu já disse, o cara está f*dido e mal pago.

E finalmente chegamos no ponto aonde a história realmente começa, Ben é apresentado a um grupo de estudantes que jogam Black Jack nos finais de semana com a supervisão do professor Micky Rosa.

Nas reuniões com o grupo, Ben aprende a contar cartas e a é apresentado a dinâmica que o grupo utiliza para ganhar verdadeiras boladas em Las Vegas.

Entre reviravoltas previsíveis, romances pseudo-impossíveis, e muita jogatina o filme mantém um bom nível mesmo em seu fechamento não muito surpreendente. O resultado é interessante, porém "Quebrando a Banca" um filme que poderia ter sido completamente fantástico, acabou se tornando uma viagem para Vegas com roteiro seguido a risca, sem desvios e com pouca ousadia.

2 comentários:

Brancatelli disse...

Vou assistir esse filme sem esperar muita coisa, viu...
Se servir pra passar o tempo, já ta valendo.

Maurício Fontes Alexandre disse...

Me parece um tema com potencial enorme e meio que desperdiçado, como disse o review! Assim que assistir eu comento mais!

Um blog com tudo que o superego julgou absurdo demais para entrar no Puro Pop

Quem faz o PuroPop ser Pop

Arquivo do blog