Siga-nos no Twitter

terça-feira, 17 de junho de 2008

Review: Cinema: Hulk

Filme: Hulk
Título Original: The Incredible Hulk
EUA - 2008
114 min

Diretor: Louis Leterrier
Elenco: Edward Norton, Liv Tyler, Tim Roth, William Hurt, Lou Ferrigno

Eu sou suspeito para falar. Sou fã de carteirinha da Marvel, adoro o Hulk e sou detentor de uma pancada de produtos da editora (incluindo gibis –é lógico- mas também bonequinhos, games, posters, camisetas... enfim.. tudo o que um nerd genuíno deve ter) e fiquei feliz pra cacete quando eles decidiram, finalmente, abrir sua produtora de filmitchos.

Cansei de ler e me aproximar de diversos personagens dos Quadrinhos e depois quebrar a cara nas seções de cinema por uma adaptação grotesca e meia boca. Talvez alguns até teriam sido filmes legais caso não fossem atrelados aos heróis geniais (o que me popa na mente agora foi o Punisher. Eu gostei do filme idaí!?) mas, pelo visto, essa era de desgraças acabou! =D

Primeiro tivemos Homem de Ferro, que foi fóuda eu devo dizer, e agora o Gigante Verde!

Pontos passíveis para se começar essa análise: Ignore o filme do Ang Lee. Eu sou uma das poucas pessoas que gostou daquela versão, mas a ignore e vá preparado para um filme novo. Um filme da Marvel! Um filme cheio de referências aos quadrinhos e à antiga série de TV.

O filme começa com Bruce Banner brincando de brasileiro na favela da Rocinha. (menção: caraleo como a rocinha é ENORME. Ta, eu sempre soube disso... mas ela é muito maior do que eu imaginei. ‘taqueopariu!). Ele trabalha numa indústria de refrigerantes (é?) e é um profissional aplicado. Tudo isso para maquiar sua verdadeira missão no br que é encontrar uma determinada planta para curar a “maldição” do Hulk.

Claro, ele acha a plantinha mas não consegue se curar (seria a mega-produção mais curta e sem graça da história) e então o Gen. "Thunderbolt" Ross descobre o paradeiro do sr. Banner e mandar a cavalaria atrás dele.

Como não podia deixar de ser, a favela da Rocinha foi um ótimo cenário para perseguições e tiroteios dos gringos com o Hulk e rendeu algumas tomadas de câmera bem interessantes. Porém nada disso me preparou para a primeira aparição do Hulk.

Puto e envolto em sombra e com pouco espaço físico para muita ação.. o Gigante Verde fez por merecer a cavalaria e botou pra quebrar. As cenas ficaram impressionantes e deixaram a mulecada boquiaberta no cinema. Foi LOUCO.

Como esperado Hulk desceu o cacete nos agentes do general Ross. Dentre um desses garotões do exército estava Emil Blonsky, um maluco russo puto da vida e pronto para topar qualquer coisa para pegar o Verdão. Nesse momento somos apresentados ao fantástico Super-Soro. Suspiros nerds foram disparados pelo cinema... bem como as caras de “WTF” por todas as outras pessoas..

Ai então a dicotomia do Hulk se transforma. Ele não quer mais se liberar da maldição e entende que precisa controlá-la para ajudar a cidade e derrotar o Abominável. As cenas da batalha são fuderosas, os efeitos e a destruição são magnânimos.

Definitivamente o sucesso de bilheteria na gringa foi justificado pois o filme é insano!

Melhor que o filme do Ang Lee, mais bem feito, com melhor roteiro (escrito por Zak Penn e com dedadas de Edward Norton), mais divertido e com um sensacional HULK SMASH (proferido pelo Lou Ferrigno – o cara que fazia o Hulk no seriado antigo) esse é mais um belo filme de super-herói.

Claro, como não poderia faltar.... temos um Mesh-Up na última cena onde vemos General Ross e a aparição do genial Tony Stark (arrepios nerds AND femininos nessa cena) para discutir um projeto ambicioso... Os Vingadores!

Se tivesse SÓ essa cena o filme já seria insano...


2 comentários:

duda disse...

Falo principalmente por fazer parte do grupo feminino, mas tb pela minha pontinha nerd: a aparição do Tony Stark realmente fez o filme AND causou arrepios(ta, nem tanto)! Ai ai... *-* uhauhahuauh

Brancatelli disse...

Olha, pretendo assistir esse filme ainda durante a semana (se o chatão do Froio encontrar um espaço livre em sua agenda)...
Mas não espero nada melhor que o filme do Ang Lee, não!
Mesmo tendo ouvido falar muito bem dessa "pseudo-sequencia"!!!

Mas o lado bom disso é que de jeito nenhum eu saio decepcionado do cinema...! =P

E tipo assim...só por ter o Robert Downey Jr...
Ahhhhhhh, Robert Downey Jr...

Um blog com tudo que o superego julgou absurdo demais para entrar no Puro Pop

Quem faz o PuroPop ser Pop