Siga-nos no Twitter

quinta-feira, 10 de julho de 2008

Review Cinema: Teeth

Filme: Teeth
Título Original: Teeth
EUA - 2007
88 minutos

Diretor: Mitchel Lichtenstein
Elenco: Jess Weixler, John Hensley, Ashley Springer.

“Um peixe habita a vagina da Mãe Terrível; o herói é o homem que vencer a Mãe Terrível, quebrar os dentes da sua vagina, e então a tornar numa mulher.”

Como ninguém havia feito um filme sobre isso antes!? – Você deve se perguntar...
Pois bem, it has been DONE! =D

Mas vamos com calma. Esse filme, Teeth, requer uma breve introdução.
Como devo configurá-lo? PuroPop ou PuroPoop?! Afinal, um filme essencialmente Trash é um filme Poop?!

Eu, pessoalmente, acho que não. Sou fã de produções toscas e pobres feitas pela diversão e somente por isso. Porém odeio filmes como o Fim dos Tempos, um blockbuster que simplesmente foi mal feito, sem cuidado, sem amor!
Vale também dizer que, em muitos casos, os filmes trash carregam muito mais paixão e tesão de seus idealizadores do que um filme feito pensando na bilheteria e na comissão do diretor, certo?!

À história do fantástico Teeth.

O filme nos apresenta a epopéia de uma moçoila, Dawn (vivida por Jess Weixler), a mais animada e inspirada líder and CEO de um grupo conhecido por Purity que prega à auto-preservação até o casamento, Ou seja, só libera o anel se alguém der outro anel (pegou?).

Logo no início somos apresentados ao problema que persegue a guria pela vida, sem contar o fato dela morar nas sombras de uma enorme usina nuclear (que não tem desenvolvimento ALGUM no filme).
Sabe aquela brincadeira de “flesh yours and I’ll flesh mine”? Não?. É coisa de americano xxx mesmo então não tem problema. Mas a menina esta numa daquelas piscininhas portáteis com seu irmãozinho e eles combinam de mostrar as devidas ferramentas ao próximo.
Após John mostrar o peru é a vez de Dawn mostrar a perereca... O meninão, esperto que SÓ, resolver dar um checking com os dedinhos e...CRAW. É m-o-r-d-i-d-o!

Eis que alguns anos se passam e a mocinha já virou a "Lula" do Purity e tudo mais. Um belo dia, apareceu no grupo um cavaleiro alado, Ryan (Ashley Springer), e ali começam algumas descobertas e maravilhas da vida.

A menina, que nunca havia visto uma tchananã de outra moça, não sabe dizer se a sua é padrão ou não, o que ela sabe é aquilo que ela tem não é "normal"! Após algumas aulas de biologia sobre evolução e um belo cinema com os amigos (não, eles nem assistem filmes PG13 porque tem pegação forte, então eles ficam nos desenhos animados só) a mocinha é estuprada! OMG.

Eis aí que a maldição se torna uma benção... no meio da sacanagem, a guria morde o bilau do sujeito! PQP! M-o-r-d-e o bilau do sujeito. M-O-R-D-E!

Ai que a coisa começa a ficar tensa.

Além das descobertas sexuais e psicopatas, a garota ainda precisa lidar com trocentos problemas que incluem um meio-irmão metaleiro estereotipado (drogado, mal educado, metelão e cuzão), além de uma mãe doente e um padrasto meio... meio nada porque o cara é mó bonzinho...

Enfim, não vou falar mais MUITO porque o filme é bizarro DEMAIS. Mas é daqueles que merecem seus 90 minutos!

O PuroPop recomenda?! Eu diria que depende.
Você gosta de filmes trash?! Sem a menor pretensão?! Então SIM
Você é chato, bobo, feio e cara de mamão? Então NÃO!

=D

Alguns detalhes curiosos:

- Jess Weixler, a Dawn, foi Nominada na categoria de Melhor Atriz Revelação no Gotham Awards. (a atuação realmente é legal. E pensando em um filme teoricamente B, a atuação dela é muito legal).

- O filme ganhou o Prêmio Júri Especial no Festival de Gérardmer.

- Jess Weixler recebeu o Prêmio de Sundance pela sua atuação.


Um comentário:

théo disse...

Boa definição, Teeth é um filme para poucos. Particularmente, eu achei do carái! :DDD

Um blog com tudo que o superego julgou absurdo demais para entrar no Puro Pop

Quem faz o PuroPop ser Pop